6 mitos do empreendedorismo digital para você ficar livre dessas ameaças

  • novembro 27, 2020

Existem muitos mitos do empreendedorismo digital. A noção de que basta uma boa ideia, insistência e conexão com a internet para obter sucesso é um exemplo. Empreender digitalmente envolve uma série de desafios — e todos devem ser muito bem administrados.

Ao acreditar em mitos, você entra com o “pé” errado no negócio digital. Também pode ter pretensões de crescimento rápido e sem esforço, que não vão se concretizar. Sendo assim, o empreendedorismo digital pode ser um verdadeiro desastre se você não focar no que realmente importa.

Nos tópicos seguintes, esclarecemos 6 principais mitos do empreendedorismo digital e como você pode contorná-los com êxito. Portanto, continue a sua leitura com atenção.

1. Você ganha dinheiro sem esforço

Você já teve ter visto um anúncio do tipo “ganhe dinheiro pela internet” seguido pela foto de alguém com roupas leves, na praia, com um coco e um notebook ao lado.

“Uau! Essa é a vida que eu quero”, pode ter pensado. Infelizmente, esse é o primeiro — e um dos principais — mitos. O empreendedorismo digital exige muito esforço, tempo e dedicação. Não é natural ter uma vida mansa, com água do mar aos pés.

Quase todo empreendedor digital tem uma rotina de trabalho puxada. É preciso se reunir com parceiros estratégicos, conversar com clientes, vender e enviar produtos, resolver demandas burocráticas, etc. Sem esforço, tudo isso vai por “água abaixo”.

Então, mesmo que consiga viajar para a praia, a ideia de que vai ganhar dinheiro fácil é um grande mito. É preciso se empenhar — muito — para que seu negócio dê certo.

2. O investimento é somente seu computador

Outro mito é: “computador e internet, isso basta”. Empreender digitalmente demanda uma série de recursos, como conhecimento, network e uma boa plataforma digital.

Imagine que quer vender cursos online de fotografia. Você precisará, claro, de um bom computador, mas não só isso. Também precisará de uma boa câmera, espaço para filmagem e uma plataforma para veicular seus infoprodutos.

Então, antes de iniciar seu empreendimento digital, avalie cuidadosamente os recursos que serão necessários, quanto isso custa e se tem dinheiro suficiente para pagá-los. Do contrário, seu projeto poderá ficar parado, sem término. Afinal de contas, faltará dinheiro.

Uma observação: por não precisar de um espaço físico para atendimento, é natural que precise de menos recursos. Todavia, é exagero dizer que só precisa de um computador.

3. Um belo site, blog ou rede social é tudo

Quando você passa por uma loja física, comumente olha para sua vitrine. Observa como os manequins estão posicionados e vestidos, como a luz destaca alguns objetos e como letras garrafais convidam para uma determinada ação, como comprar algo.

Assim como as lojas físicas, os empreendimentos digitais contam com uma vitrine: seu site, blog ou rede social — ou todos eles, juntos. Essa vitrine digital é capaz de atrair novos clientes e despertar o desejo de compra. Por isso, deve ser bem planejada.

No entanto, é um grande mito atribuir o sucesso de empreendimentos digitais apenas à sua vitrine digital. Ser bem-sucedido depende de muito mais, e é imprescindível ter conteúdo.

4. Seguidores são sinônimos de vendas

As redes sociais compreendem uma importante fonte para se relacionar com potenciais clientes e vender produtos digitais. No entanto, seguidor não é sinônimo de venda fechada.

Por acreditar nesse mito, alguns empreendedores fazem campanhas massivas de marketing para encontrar novos seguidores, sem uma correta triagem do seu público-alvo. Ou, até mesmo, contratam chatbots para avolumar seu número de seguidores.

Pensar no número (e não na qualidade) dos seguidores pode ser um grande problema e causar um efeito negativo no empreendimento digital. Os anúncios de vendas vão cair mais nas mãos de seguidores desqualificados, que não têm um interesse genuíno no seu produto digital, do que em seguidores qualificados, que são clientes em potencial.

Portanto, não busque por qualquer tipo de seguidor. Defina um perfil de cliente ideal, capaz de comprar seu produto digital, depois busque seguidores com esse perfil.

5. O negócio digital funciona 100% no automático

É possível que alguns empreendedores acreditem que seu modelo de negócio digital vai funcionar 100% no automático. Ou seja, que vai precisar de pouca intervenção.

No entanto, não é bem assim. Não basta criar um produto digital, lançá-lo em uma plataforma e depois esperar que ele monetize e o dinheiro caia na sua conta bancária. O processo é mais longo e complexo. Então, demanda dedicação contínua.

Após criar e lançar um produto digital, é preciso fazer campanhas de marketing, acompanhar o desempenho em vendas, monitorar os resultados financeiros, projetar melhorias no produto para o futuro e versões 2.0. Ou seja, há muita coisa para fazer.

Isso não é ruim, pelo contrário. É seu esforço offline que vai diferenciá-lo dos outros competidores, garantindo que tenha mais clientes e melhores resultados financeiros.

6. O empreendedor nunca pode errar

Existe um mito de “empreendedor herói”, que nunca falha. Nos negócios digitais, que envolvem startups de alto crescimento, por vezes, esse mito pode ser amplificado.

Entretanto, o erro é algo natural à jornada empreendedora. Aliás, é uma das maiores fontes de aprendizado. Ao errar, é possível diagnosticar fraquezas e reconfigurar seus recursos, no intuito de garantir que o mesmo equívoco não volte ser cometido.

O empreendedor digital falha, sim. Esses contratempos são úteis para criar outras versões de produtos digitais ou algo totalmente fora do lugar-comum, o tal produto disruptivo. O principal é aprender com o erro e reconhecê-lo rapidamente. Assim, é possível mudar.

Enfim, agora você conhece os principais mitos do empreendedorismo digital. Tenha em mente que empreender por meios digitais gera uma série de vantagens, como multiplicar as vendas e distribuir seu produto pela internet. No entanto, nada disso é fácil ou totalmente autônomo. É preciso esforço, conhecimento e entusiasmo diário.

Gostou do nosso artigo, certo? Aproveite para compartilhar esse conhecimento com seus amigos. Compartilhe nosso conteúdo em suas redes sociais. Vamos lá!

× Como posso te ajudar?